Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Maus directores estragam boas empresas...

Há pessoas que gastam tempo e dinheiro para serem directores de uma empresa mas, o único que conseguem é fazer as empresas perder dinheiro. Pobres patrões, porque quando dão por ela pode ser muito tarde !

Todos sabemos (pelo menos os que acompanham minimamente as noticias) que o maior custo para as empresas são as pessoas, por isso, liderá-las de uma forma produtiva é fundamental para compensar o investimento.

Acontece que os cursos de administração e finanças não preparam os pseudodirectores para essa árdua tarefa. E se a esse facto se soma falta de habilidade pessoal o caldo entorna-se em pouco tempo.

 

As pessoas não produzem mais porque o director manda! Aprendam essa rapidamente, antes que os melhores saiam pela porta fora e os que ficam não produzam o que realmente são capazes.

As pessoas não se dão bem com as imposições, principalmente quando essas imposições atingem os seus direitos. Aqui estes "directores" perdem muitos pontos e isso transforma-se em perdas monetárias mais cedo ou mais tarde, porque colaboradores desmotivados não acrescentam nada de positivo à imagem que a empresa necessita para se impor no mercado.

 

É sob a liderança de directores como os que descrevo que encontramos a funcionária do balcão carrancuda com pouca vontade de ajudar. É sob a liderança destes maus profissionais que apostam tudo na imagem que a gravata lhes dá, que temos o vendedor que não se importa de ganhar o mínimo, e usar o tempo e talento em negócios pessoais. É sob a alçada destes profissionais que receberam empresas saudáveis a dar lucro que as encontramos passado um par de anos a roçar o prejuízo.

 

Abram o olho senhores investidores, não deixem estes directores trabalharem sem vigilância, ouçam as bases e os clientes amiúde, desconfiem dos relatórios, porque se eles não prestam no que toca ao negócio, podem revelar-se verdadeiros profissionais da maquilhagem dos números.

 

Portugal e os portugueses merecem lideranças talentosas, porque são profissionais de talento e esforçados, não merecem ter de trabalhar com gente sem talento que se escuda em hierarquias! (Isso é um sinal de alarme claro, quando se pergunta a um director porque é que ele tomou determinada decisão e a única resposta que se recebe é “porque eu mandei e tem de me respeitar, sou o seu director!” Nesta altura ponham todos os alarmes a soar!)