Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Estamos piores que antes? Ou sabemos mais que antes?

Na minha opinião, este Mundo não está pior que antes, este Mundo tal como é, está mais exposto agora.

Com a porcaria exposta como se encontra actualmente é a oportunidade ideal para uma boa acção de limpeza. Talvez esta oportunidade não se repita, tão depressa, num futuro próximo.

Como as instituições têm dados sinais de funcionarem de forma bastante descoordenada e em alguns casos funcionam até de forma ineficaz, cabe a cada um de nós, nas posições que ocupa na sociedade, fazendo bem o que até agora foi feito mal, contribuir para que toda esta porcaria exposta comece a desaparecer. Temos de aproveitar a oportunidade de eliminar a porcaria em exposição, antes que esta volte a desaparecer nas águas turvas que a mantém escondida mas, activa.

Se o esforço for feito agora, talvez evitemos uns séculos de espera para voltar a ver a porcaria que move esta sociedade mundial novamente. Neste momento sabemos de que matéria corrupta é feita tal porcaria, se deixamos que esta volte a assentar no fundo do lago turvo, voltamos a não saber novamente com que porcarias nos movem.

Imagem no site "pragmatismopolitico".

ranking-corrupção-países-mundo.jpg

Esta porcaria que adoece as nossas sociedades é feita de…

  • Sistemas legais minuciosamente construídos, para manter os ignorantes controlados e os ambiciosos de bolso cheio;
  • “Democracias” que na realidade são máscaras para esquemas de corrupção que usam o dinheiro de todos para interesses particulares;
  • Sociedades de dupla moral onde fica bem, fazer de conta que se tem ética, mas na prática não se a aplica;
  • Bens mais consumidos pelas sociedades actuais: mentiras! Criticamo-las, mas adoramo-las. A água (H2O) não tem o mesmo sabor se for simplesmente vendida directamente da fonte ou se for vendida da mesma fonte com uma qualquer história a adornar, como por exemplo: ser recolhida pelos indígenas que a engarrafam directamente em garrafas com as suas mãos ancestrais. Pagamos mais pela mentira e até gostamos. (Gosto de sonhar, de fazer de parva já não gosto tanto);
  • Manipulações mediáticas feitas através do medo semeado voluntariamente pela Comunicação Social. Não existe melhor combustível para a manipulação das liberdades do que o medo. (Fui ver o filme “Zootopia” com o meu filho e vim encantada com a mensagem);

Que pode um simples cidadão, sem recursos especiais fazer, para contribuir para esta necessária limpeza?

Não se somar às massas que fazem as coisas mal. Abster-se de comentários racistas, por exemplo, como se costuma dizer: “se não podes ajudar, abstém-te”. Educar os filhos para o amor e para a tolerância. Não permitir condutas que prejudiquem terceiros, que sejam feitas na sua frente ou com o seu conhecimento: “sim, denunciar as pancadas seguidas de choro que se ouvem todos os dias no andar de cima, é um bom começo”. Não permitir abusos por parte de outras pessoas apenas por respeito a uma gravata que não se sabe muito bem como é que a comprou (para quem não entendeu, falo que antes de idolatrar um senhor doutor, tente saber como é que conseguiu o diploma, porque o respeito dá-se nas duas direcções).

Pequenos gestos, boas condutas, somadas podem começar a fazer a diferença. Podem ser o detonante que aquele polícia precisava para sentir que denunciar e combater o crime afinal vale a pena. Pode ser o detonante que aquele raro político honesto precisava para lutar pelos direitos de todos. E etc…

 

Pequenos gestos, cumpridos no espaço-tempo podem gerar grandes mudanças.

 

O Mundo está em convulsão, aproveitemos para fazer as coisas bem…

O líder de uma das maiores economias terrestre mostra que é possível fazer as coisas de outra forma. Falo de Obama que usa a diplomacia obtendo melhores resultados, que o seu antecessor com o uso da guerra (Bush).

Temos um líder religioso que se tem atrevido a mudar o que se pensou que nunca pudesse ser mudado na Igreja Católica.

Organizações de Jornalistas que se atrevem a fazer o seu trabalho: INFORMAR. E expõe ao Mundo o que dinheiro tem vindo a esconder: o Panamá Paper’s é o mais recente exemplo.

Povos que mostram o que valem em Democracia a defender a credibilidade das suas instituições, o mais recente exemplo foi a Islândia. Um povo educado e esclarecido não é facilmente manipulado e exigiu o afastamento do Primeiro-ministro cujo nome apareceu vinculado a operações financeiras pouco limpas.

Um pouco por todo o Mundo os povos estão a promover mudanças: Venezuela que se atreveu a eleger a oposição ao governo ainda sem resultados satisfatórios mas a vontade está lá, o Brasil que se mostra saturado dos esquemas corruptos que os governa, a Argentina que se desfez do reinado do Governo anterior não se sabe se com bons resultados mas a vontade está lá, e até Portugal que pela primeira vez distribui votos por partidos nos quais tradicionalmente não votava mostrando que está saturado de mais do mesmo.  

"... divulgou esta semana uma pesquisa reveladora sobre o aspecto mais nocivo do “jeitinho brasileiro”. De acordo com o levantamento, sete em cada dez brasileiros afirmaram já ter cometido pelo menos uma atitude que pode ser considerada corrupção. Mas os entrevistados não se assumem: somente 3% deles, questionados se se consideram corruptos, reconheceram que sim." no Rede Brasil Atual.

E os deuses- governantes, que até hoje se apresentavam com máscaras de credibilidade, que têm vindo a cair: Ministro com diplomas tirados de formas demasiado bizarras para serem credíveis, Governantes com riquezas que não podem explicar de forma credível e irrepreensível, Primeiros-Ministros apanhados em mentiras básicas e registadas e com dívidas às entidades que gerem, Ministro da Cultura que escreve barbaridades no Facebook mostrando que de cultura tem muito pouco, etc…

 

A origem de muitas fortunas, cuja história contada pelo marketing nos garantia ser resultado de luta e esforço, aparecem Tal como são: verdadeiras manipulações da verdade e roubos disfarçados de legalidade em alguns casos e noutros nem esse cuidado tiveram.

"É afirmar: Não preciso de dezenas de engenheiros com mestrado para fazer frente à concorrência”, explica Guy Kawasaki, ex-funcionário da Apple e autor de vários livros sobre empreendedorismo no Vale do Silício. A garagem é um símbolo. Um aviso do gênero ao qual pertence a origem de cada empresa. É o sonho americano. E também é mentira." Ler artigo completo aqui.

 

"A companhia americana de bebidas Fiji Water, que extrai água mineral de uma cratera vulcânica no arquipélago de Fiji, no Pacífico, cobra o dobro da concorrência. Sua história, de fato, é matadora.

A empresa diz que ajuda a população local — financiando a construção de escolas e hospitais — e que a água, “única”, faz bem à saúde. Ninguém se importa que a água seja transportada por dezenas de milhares de quilômetros, uma loucura do ponto de vista ambiental. Uma prova de que o storytelling colou." - Ler artigo completo aqui.

 

"A marca Hollister Co. é então comercializada como se tivesse sido fundada em 1922, data que se encontra nos rótulos e etiquetas dos produtos. 

Porém, tudo não passa de uma cascata, uma invenção do fundador da marca, Mike Jeffries.

A Hollister, criada pela marca Abercrombie & Fitch, na realidade surgiu no ano 2000: sua primeira loja foi aberta em julho daquele ano no Town Center Easton, em Columbus, Ohio." - Ler o artigo completo aqui. 

 

O Universo conspirou para que as verdades se tornem visíveis, agora é hora de fazermos a nossa parte fazendo bem o que outros fazem mal e contaminando os que nos rodeiam para que esse movimento se multiplique.

Façamos bem, mantenhamo-nos informados, inspiremos outros a fazer o mesmo. Apoiemos a Educação Universal. Contribuamos para que todos sonhem e tenham oportunidade de através do seu esforço alcançar esses sonhos.

A felicidade tem a estranha particularidade de contaminar quem nos rodeia, pena que a frustração também, cabe-lhe a si escolher o que quer semear ao seu redor!