Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

"- Mãe, o que é a corrupção?"


Depois de tanto ouvir a palavra "corrupção", repetida até à exaustão na tv independentemente do idioma, surgiu a pergunta:



 



"- Mãe, o que é a corrupção?"



 



"Ohlálá! Como explico isto a uma criança de 7 anos se nem os adultos se põem de acordo?", pensei. E expliquei mais ou menos desta forma:



 



- Quando se define com acordo de todos que determinado objecto é para ser usado para um determinado objectivo, se o usamos de outra forma sem concordância de todos, estamos a ser corruptos, desonestos.



A corrupção acontece quando usamos de uma forma diferente ao combinado e para interesses próprios o que é de todos.



Por exemplo: entre vizinhos compramos uma ambulância e definimos que ela é para nos levar ao hospital se algum ficar doente. Por uma questão de organização fica definido que um dos vizinhos com mais disponibilidade vai receber um pagamento para tomar conta da ambulância.



Acontece que ele não se limita a tomar conta da ambulância, passa a aproveitar-se dela para passear aos fins-de-semana e ganhar um dinheirinho a mais, fazendo serviços a outras ruas durante a semana. O dinheiro ganho com esses serviços/trabalhos que não estavam combinados entre todos, fica apenas para ele. Achas que ele se comporta de uma forma honesta ou corrupta?



 



Acho que ele entendeu a ideia, porque respondeu rapidamente:



 



"-Corrupta."



 



Aproveitei e acrescentei que a corrupção é perigosa para todos, e dei como exemplo:



No caso da ambulância, os vizinhos que investiram o dinheiro estão à espera de a poder usar quando for preciso. Mas, o que é que pode acontecer quando quem a devia ter pronta a usar a anda a aproveitar para outros trabalhos?



Que quando o vizinho a chame, ela esteja ocupada com os trabalhos do vizinho desonesto, ou que esteja avariada por excesso de uso. Além de não a puderem usar, os vizinhos ainda terão de pagar o arranjo. E a ambulância que parecia ser uma solução para um problema, passou a ser uma fonte de problemas por causa da desonestidade daquele vizinho que corrompeu o que estava definido por todos para proveito próprio. Ele vai enfrentar consequências, vai ter castigos quando os vizinhos se aperceberem mas, o mal já vai estar feito. E o justo é que ele devolva tudo o que ganhou de forma desonesta à custa do trabalho e empenho de todos.



E para isso existe a justiça, que esperamos não seja corrupta. (Senão é que ficamos mesmo perdidos!)

 



 



Depois ficamos sozinhos e a pensar:

“Chiça! Esta coisa da corrupção é mais comum que dias de chuva no inverno. Está em todo o lado. O director que viaja com dinheiro da empresa para descansar no hotel 5 estrelas com a desculpa que vai “tentar fechar um negócio!?” , no velhinho que usa o desconto por idade para comprar coisas ao neto, na mãe que recebe o “abono de família” por filhos que apenas vê a dormir à noite e quem cria é a avó, na senhora do condomínio que cobra por dois dias de limpeza quando na realidade só trabalha um mas ninguém vê, no político que usa o dinheiro de todos para ajudar os amigos e assim parecer um tipaço bem-sucedido (assim também eu!), na senhora que usa o peditório para ajuda ao cancro e tira um dinheirinho para ir ao cabeleireiro afinal ninguém vai reparar, etc… Uma praga! E no final TODOS perdem! Ou pelo menos a maioria fica a perder e MUITO.”