Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Máquina capaz de avaliar e julgar em segundos ? O ser Humano.

A incrível máquina que transportamos na cabeça, é magnífica. Disso não existem dúvidas. As dúvidas residem em conhecer realmente a sua capacidade.

Hoje eu quero analisar uma das mais incríveis capacidades que o cérebro proporciona ao ser humano: a capacidade de avaliar e julgar.

Já devem ter experimentado aquela sensação de cansaço, tão grande que não conseguem explicar como chegaram a casa depois do trabalho. A resposta está no cérebro. Ele conhece o objectivo e guia-nos até lá. Como provavelmente é um caminho repetitivo ele só tem de ir ao arquivo.

É incrível como sem pensar muito em determinado assunto, à primeira tem a resposta e a acção correspondente. Quando vemos água a fumegar, percebemos num milésimo de segundo que está quente e retiramo-nos para uma posição segura.

Somos muito rápidos a avaliar, julgar e agir de acordo. Existe toda uma escola à volta de isso:

  • Uma imagem vale mais que mil palavras;
  • Não existe uma segunda oportunidade de causar uma boa primeira impressão;

Mas eu sou do contra, e acho que isso nos tornaria a vida demasiado fácil e sem “salero”. Na internet deparei-me com este vídeo fantástico:

 

 

 Video do canal Youtube de mattsuyomotto00.

 

É verdade somos muito bons a julgar imagens. Só que o fazemos dentro do nosso arquivo. E nem todos os nossos arquivos são iguais e estão bem organizados e arrumados, porque contamos com emoções. A avaliação que fazemos é uma busca rápida naquilo que já vimos, experimentamos, lemos, visionámos,… O que quer dizer que perante uma situação nova, cujas variáveis fujam às existentes no arquivo, nós podemos fazer avaliações erradas.

Isso é mau? Claro. Porque logo a seguir vamos tomar uma série de acções que podem não estar adequadas. E colocamo-nos em perigo e aos outros também dependendo da situação.

Na situação que descrevi anteriormente, em que cansados, ligamos o piloto automático e vamos estrada fora. Se tudo decorrer como todos os dias, fantástico. Mas e se no meio da escuridão um bêbedo se atravessar à nossa frente. É difícil sair do piloto automático (não impossível) e isso pode ser perigoso. O cérebro vai levar mais tempo a avaliar a situação:

  • Primeiro vai perceber que algo falha na equação;
  • A seguir vai tentar perceber o quê (aqui já começamos a ficar à alerta);
  • Só agora é que vai buscar ao arquivo semelhanças com outras situações conhecidas;
  • Depois de reconhecer por comparação, vai tentar perceber que tipo de acções terá de concretizar para não acabar em desgraça;
  • E se existir algum treino, provavelmente ninguém se aleijará, se não existir nenhuma forma parecida nos arquivos, fica no campo da “ Boa Sorte”.

 

Quero com isto dizer que antes de agir perante uma primeira avaliação, façam como o vosso cérebro em situação de Stress e levem o seu tempo. As primeiras impressões são cada vez mais estudadas e teatralizadas, as imagens manipuladas, não se deixem manipular também.

Eduquem-se e eduquem porque que com quanta mais informação de qualidade o nosso cérebro possa contar melhor avaliará e julgará, logo terá menos hipótese de tomar decisões erradas.

 

Para os que gostem de procurar informação deixo aqui um link de um trabalho sobre Neuroeducação do SlideShares. O senão é que està em espanhol. Mas tentem, pode ser que se aprenda alguma coisa.

 

BOAS APRENDIZAGENS