Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Não hà produtividade em Portugal?

 Imagem do site "Do tempo da outra senhora". A COLHEITA - CEFEIRAS.

 

 Continua a moda de dizer que em Portugal não existe produtividade. Normalmente estas afirmações são feitas por pessoas ligadas a cargos de gestão de topo. E no topo vê-se mal a base.

 

 Em Portugal por causa destas afirmações mal fundamentadas foram criadas politìcas de incentivo à produtividade:

  • Foram retirados os 3 dias de férias, que eram acrescentados aos normais 22 em caso de assiduidade;
  • Foram retirados feriados e pontes;
  • os Hipermercados passaram a abrir aos domingos e feriados à tarde (em teoria existiria mais emprego, e o que acabou por acontecer foi uma sobrecarga dos trabalhadores jà existentes);
  • Aumentaram a carga horària dos funcionàrios pùblicos;
  • ....

 

Brilhantes medidas. O ùnico problema é que nada mudou, mesmo com os trabalhadores a trabalhar mais. 

 

Vamos comparar com a França e Alemanha, onde se ganha ordenados escandalosamente maiores:

 

PORTUGAL FRANCA ALEMANHA
Férias: 22 dias ùteis 30 dias ùteis 27 a 30 dias ùteis
Feriados: 9 p/ano 19 p/ano 18 p/ano
Ao domingo comércio aberto Comércio fechado ao domingo Comércio fechado ao domingo

 

 Isto sò para comparar algumas variàveis. A ter em atenção que o ordenado minìmo em Portugal é de 505€ (os trabalhadores não podem estar muito motivados, não acham?), e nestes 2 paìses da comparação é em média superior a 1100€. Estes valores têm mais importância se explicarmos que o preço de vida é praticamente o mesmo. 

 

Parece-lhes que o problema da tão falada produtividade està no trabalho prestado pelos nossos colaboradores? Ou serà falta de liderança? Não acham que temos demasiados doutores de papel?