Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Viver com Crohn. Viver limitada ou limitar o viver ?

 

Video do Canal michaeljacksonVEVO, no Youtube.

 

  Maria Aerdna escuta no autocarro, a música “They don’t Care about us” de Michael Jackson. E pensa:

“Existe alguém que esteja preocupado connosco? Com os que têm dores, fome, sede, insegurança. Não.”

 

  Maria Aerdna está incluída no grupo de pessoas que têm dores. Pessoas com doenças tão corriqueiras de tanto se falar como: Artrite, Fibromialgia, Diabetes, DII (Doenças Inflamatórias Intestinais), Asma, … É tão natural, comentarem que têm asma, parece que jà não nos atinge sequer a “pena”. Pensamos “Tem asma? Isso é normal. O pai, o tio, o colega de trabalho também têm.” PARECE NORMAL. MAS NÃO É.

 Maria Aerdna sofre com a Doença de Crohn (uma das DII), vai para 10 anos. Hoje com a medicação finalmente acertada, as grandes crises de inflamação intestinal não são da violência que foram em tempos.

  Mas os olhares acusadores que recebemos sempre que as dores abdominais voltam, como que responsabilizando-nos pelo ocorrido, fazem-nos calarem. O Calar é uma dor mais que se soma à outra.

 

 

Existem 3 tipos de pessoas:

 

  • As “sortudas”. Podem comer porcas e parafusos, não dormir uma semana, e mesmo assim estão sempre óptimas. QUE INVEJA!!!!
  • As “conto com a tua ignorância”. Todos conhecemos pessoas a quem lhe dói todos os dias alguma coisa: a cabeça, o joanete,… E não param de se queixar até provocarem pena. O problema é quando se entusiasmam a contar o divertido que foi a noite de copos até às 5h da matina e o pequeno-almoço antes do serviço. Explicam assim a origem das maleitas.
  • E as “azaradas”. As que estão em constante sofrimento. As pessoas para as quais qualquer alteração na rotina é um inferno em vida. As pessoas para as quais cumprir as rotinas e responsabilidades diárias é uma maratona olímpica diária, tal é o esforço colocado. Essas estão tão concentradas no seu esforço que normalmente não se queixam. Essas que normalmente têm um ar maldisposto sem razão aparente. POR TODAS ESSAS RAZÕES NINGUÈM QUER SABER DELAS. Elas não querem incomodar, os outros não querem saber.

 

(continua….)