Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

Aerdna no Mundo?

A definição da palavra "mundo", não é restrita. A minha preferida, engloba os vàrios conjuntos de realidades concretas e imaginadas. Aqui veremos o mundo pela escrita de Aerdna.

É o dinheiro solução para tudo?

Eu continuo a olhar para a nota de 500€ em cima do balcão à espera que ela sopre soluções e... nada. Se eu não pensar como, ela não me ajuda.

Espero que ela saia para trabalhar e não me cause problemas e... nada. Se eu não fizer o que tem de ser feito, ela não o faz por mim.

Com a agravante que se souberem que eu tenho uma nota de 500€ no balcão, é muito provável que ela atraia aquele tipo de amicumplice que muito poucos merecem. E se me distraio, sou roubada ou traída.

Ouço muitas vezes em tom de lamento "se eu tivesse nascido rico..." Será essa a grande solução para os problemas que assolam a humanidade e a vida de cada um?

As estatísticas dizem que não. Vejamos este exemplo:

"De acordo com Bertoldi, cerca de 70% das empresas familiares não sobrevivem da primeira para a segunda geração. Na passagem de bastão da segunda para a terceira, a taxa de mortalidade chega a 90%. Somente 3% sobrevivem da terceira para a quarta geração.
O professor observa que somente 43% das empresas familiares em todo o mundo têm um plano de sucessão. “Isso é muito grave. Se não planejar a chance de não sobreviver é muito grande.”" - in http://lidere2018.com.br/palco-gestao-sobrevivencia-da-empresa-familiar/

Afinal, nascer rico não é garante de sucesso.

Onde estamos a errar?

Eu creio, que o erro foi pensar que dinheiro é solução, quando ele não passa de um mero utensílio. O dinheiro, facilita muito as necessárias trocas que temos de realizar entre todos para sobreviver. Mas, é apenas isso.

Acredito que é preciso ensinar, com convicção, às novas gerações que têm de aprender a pensar e a encontrar soluções e a ver o dinheiro como o utensílio que é. Se continuamos a ensinar que dinheiro é o objectivo final, que o poder reside só e unicamente aí, estaremos a criar mais e mais inúteis. Por isso, o neto é incapaz de continuar o negócio do avô. O neto pensou que já estava garantido e não desenvolveu todas as capacidades de observação e adaptação que é necessário ter para manter um negócio activo no mercado, cada vez mais e mais competitivo.

Vale a pena repensar!

Deixo aqui um vídeo que reflecte sobre a forma de educação, onde a presença é substituída por tudo menos pelo essencial, porque o objectivo principal é pôr dinheiro em casa e garantir não um futuro digno, mas sim um consumismo desenfreado. Essa reflexão foi feita em 2004, de acordo com o texto que acompanha o vídeo e fala de muito mais...

...

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.